ALIMENTOS LIOFILIZADOS: PRÁTICOS, SAUDÁVEIS E ETERNOS

O grande desafio da indústria alimentícia do século XXI é a criação de alimentos que ao mesmo tempo sejam saudáveis, práticos, gostosos, duradouros e que não agridam ao meio ambiente. E se já existisse uma tecnologia capaz de produzir alimentos com todas essas características, mas que atualmente sua utilização está limitada a nichos extremamente específicos, existindo muito espaço a se explorar para novos produtos nesse mercado, quanto impacto uma empresa que a empregasse poderia ter?

Essa tecnologia “milagrosa” é a liofilização, um processo para desidratar o alimento a frio, em equipamentos especiais. Ao contrário da desidratação normal, na qual o alimento é submetido a altas temperaturas, que degradam vitaminas, proteínas e comprometem o sabor, cor e propriedades nutricionais, na liofilização esse processo ocorre a temperaturas negativas, através de vácuo, mantendo praticamente todas as suas propriedades. Essa tecnologia é mais usada em snacks de frutas e em bebidas solúveis, mas também pode ser utilizada em temperos, sopas, cereais, hortaliças, carnes e até mesmo refeições prontas, que hoje só são encontradas em rações militares, lojas especializadas em montanhismo e comida de astronautas.

Além de não perder os nutrientes, os alimentos liofilizados são leves, práticos (só é necessário adicionar água quente por uns 5 minutos e se tem uma refeição completa e balanceada) e possuem um prazo de validade extremamente longo, pois a água é um componente necessário para a multiplicação de microorganismos e age como catalisador para as principais formas abióticas de degradação, podendo ser armazenados por anos sem necessitar de refrigeração, na embalagem adequada. Isso os torna ideais para viagens ou acampamentos, nos quais os consumidores passarão por períodos longos sem acesso a formas de manter o alimento em baixas temperaturas.

O único ponto negativo é o seu custo. Por ser um processo complexo, os equipamentos que o realizam possuem um custo elevado, e o seu gasto energético também é maior que os outros tipos de desidratação. Portanto, é necessário uma maior preparação e um maior cuidado no planejamento e na otimização da produção para gerar um preço mais competitivo. Nessas horas, a atuação de uma empresa que possua anos de experiência na indústria alimentícia, como é o caso da CONAQ se torna essencial.

Caso tenha interesse em conhecer outros processos pouco conhecidos da indústria alimentícia ou se quiser saber mais sobre a aplicação desse processo, ou se ainda tiver alguma ideia que deseje implementar, entre em contato conosco, ficaremos felizes em ajudar!

Equipe Conaq
Equipe Conaq

Gostou deste artigo? compartilhe nas redes!

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on linkedin
Compartilhe no Linkdin
Share on pinterest
Compartilhe no Pinterest

DEIXE UM COMENTÁRIO