DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO ALIMENTÍCIO PELA CONAQ

prateleiras shelf life

Saiba a importância e os benefícios de desenvolver um produto alimentício, desde a identificação no mercado até a implementação de processos detalhados para garantir a qualidade e a conformidade. Fique por dentro das oportunidade de inovação, do crescimento do mercado de alimentos e na assistência especializada da consultoria Conaq para impulsionar o sucesso do seu negócio.

COMO INTEGRAR O SELO OU CERTIFICADO AO SEU PRODUTO?

R. João Pio Duarte Silva, 241 | Florianópolis – SC WhatsApp (48) 3721-6361 Entre em contato  5/5 4 minutos Saiba as principais áreas que demandam um selo ou um certificado, entenda quais requisitos devem ser cumpridos e qual área que se encaixa melhor com seu produto. O que são os selos e certificados? Os selos e as certificações são de devida importância, pois se trata de artifícios representativos criados para comprovar a fidelidade de dado produto quanto a suas especificações ou auto-determinação em diversos grupos alimentícios com configurações específicas. Isso, além de trazer identidade a seu produto, pode desenvolver uma ampliação de mercado para nichos específicos que trás agregado a si um alto valor de consumo. Quem pode criar os selos e certificados? Os selos podem ser criados e concedidos por empresas, instituições, associações de classe, laboratórios, organizações governamentais ou não governamentais. Dessa maneira, com suas devidas regras e metodologias específicas de avaliação e comprovação, estando de acordo com o Inmetro. Além disso, podem ser representativos de fatores como, por exemplo, de isenção de glúten, de controle de perigos, de qualidade, de causas sociais, entre outras. Desse modo, para seu produto se enquadrar à implementação de dado selo ou certificado seu produto deve conter certas especificações a serem seguidas pelo mesmo e comprovadas. Por que colocá-los no seu produto? Diversos são os selos e certificados que podem ser encontrados para agregar valor a seu produto ou te tornar capaz de apoiar efetivamente uma causa, sejam eles internacionais, nacionais ou até mesmo estaduais. Utilize disso para melhorar seus produtos, ampliar suas vendas e fazer com que sua empresa cresça ainda mais. Na CONAQ, realizamos serviço de consultoria e desenvolvimento de produto! Se interessou? Entre em contato com agente clicando na imagem abaixo!! Conheça as 3 áreas onde selos e certificados estão mais presentes: Controle de qualidade e de segurança Selos e certificados de controle de qualidade se mostram de extrema importância, pois eles projetam no produto noções de relevância, proteção, qualidade e confiança para os clientes. Entenda mais sobre esses selos e como podem ser adquiridos: SQF (Safe Quality Food): órgão internacional de segurança e qualidade de alimentos, para o qual deve ser encaminhada uma proposta, e será feita uma audição quanto a seu produto para o selo desejado. As normas internacionais (ISO) é um grupo das mais importantes certificações sobre segurança e qualidade, sendo formalizada no Brasil através da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Outro selo importante é o HACCP ou, em português, APPCC (Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle) para determinação e controle de pontos críticos de produção na indústria para aplicação de um sistema de gestão de segurança de alimentos. Já o Serviço de Inspeção Federal (S.I.F.), sendo obrigatório aos produtos que se seguem, assegura a qualidade de produtos de origem animal destinados ou não à alimentação, incluindo carnes, pescados, leite e seus derivados, ovos, mel e cera de abelha.  2. Necessidades Fisiológicas Outro grupo de selos e certificados de grande importância e de forte apelo ao valor são os selos que apontam à questões de limitações no organismo de algumas pessoas. Por que esses selos garantem ao consumidor que dado produto contém ou não certo produto e assim, que pode ser prejudicial ou benéfico a sua saúde, o que, para os que o necessitam o produto pode ser de muito alto impacto na vida do cliente. O Gluten-Free Certification Organization (GFCO) é o principal órgão responsável mundialmente por certificar produtos livres de glúten, sua assimilação depende de um registro nos conformes descritos pelo respectivo site, tendo de ser enviados todos os dados da planta responsável pela produção para avaliação e com um pagamento anual de $100. O Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgânica (SisOrg) é o selo responsável por validar os produtos orgânicos em mercado e para se regular quanto a isso no MAPA e precisando estar de acordo com a LEI Nº 10.831/03. Os produtos orgânicos são de grande importância, pois há uma grande abrangência de público, seja por uma alimentação mais saudável bem como por uma causa social, como trataremos a seguir, pelo baixo efeito nos solos e com um maior incentivo à pequenos produtores. 3. Causas sociais  Uma causa social é um exemplo de como, por uma simples ideia ou ato de inclusão, é possível se infiltrar na vida de um cliente, fortalecendo mutuamente as forças. Partilhando da causa anterior, o selo vegano, tendo por causa não utilizar nenhum tipo de produto que tenha relação com a exploração animal é um exemplo disso, sendo  conferido pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB). Para ter autorização de utilização de tal selo deve ser feita uma solicitação com a SVB e seguindo os passos para adequação com os produtos veganos, sendo feita uma avaliação da composição de seus produtos pela mesma. O Humane Farm Animal Care (HFAC), representado no brasil pelo Instituto Certified Humane Brasil (ICHB), é um selo representativo de um produto relacionado a produtores preocupados com o bem-estar dos animais envolvidos na produção. Para isso, você deve entrar com uma solicitação para com o ICHB, o qual fará uma avaliação de sua produção. O que é CONAQ? Somos uma empresa júnior, da Universidade Federal de Santa Catarina, de acordo com a Lei 13.267/2016, e realizamos projetos de consultoria em engenharia química e engenharia de alimentos. Entre em contato Posts recentes FICOU INTERESSADO? Fale agora com um de nossos especialistas! Entre em contato R. João Pio Duarte Silva, 241  Florianópolis – SC Email contato@conaq.com.br WhatsApp (48) 98453-2219 Consultoria alimentar especializada no desenvolvimento de produtos. Reduza o desperdício e mantenha a qualidade do seu produto com nossos estudos e testes técnicos. Navegação Processo Estudo do Produto Estudo Legislativo Estudo de Processo Testes Laboratoriais Análise Sensorial Rotulagem Benefícios Formulação do produto com alta qualidade Alcance de mercado e mais vendas Solução única e exclusiva Adequação às normas de regulamentação Conaq | Todos os direitos reservados Desenvolvido por Swell Digital Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus

PROCESSO DE FABRICAÇÃO DO CHOCOLATE

O processamento do cacau inclui colheita, fermentação e classificação. No Brasil, a ANVISA exige 25% de cacau no chocolate. Doenças levaram à redução desse percentual. Descubra mais sobre o mundo do chocolate!

 REGRAS BÁSICAS DA ANVISA: LEGISLAÇÃO

A conformidade com a legislação é crucial para evitar multas e garantir o bom funcionamento do estabelecimento no setor alimentício. Conscientização, treinamento adequado e gestão eficiente são fundamentais para atender às normas e manter a qualidade e segurança dos alimentos oferecidos.

COMO DESENVOLVER SEU PRODUTO ALIMENTÍCIO

Descubra os segredos por trás do desenvolvimento de produtos alimentícios! Se você já teve a ideia de criar seu próprio produto alimentício, mas não sabe por onde começar, este artigo é para você. Explore desde o planejamento até a formulação final, aprendendo sobre a importância da qualidade e segurança dos produtos. A CONAQ, uma empresa especializada, oferece assistência nesse processo. Invista seu tempo e dedicação no desenvolvimento de alimentos com segurança e qualidade. Leia agora e dê o primeiro passo rumo ao sucesso no setor alimentício!

BENEFÍCIOS DOS ALIMENTOS COM COLÁGENO

Descubra o colágeno. Descubra uma nova era de alimentos. Entre em contato para explorar todas as possibilidades que o desenvolvimento de produtos com colágeno podem oferecer à sua empresa. A revolução alimentícia começa agora!

ADITIVOS ALIMENTARES NATURAIS: COMO MELHORAR A QUALIDADE NO PROCESSAMENTO E A VIDA ÚTIL DOS ALIMENTOS

Nas últimas décadas, o aumento na demanda por alimentos fez com que o processamento fosse necessário para a distribuição regular dos mesmos. Por meio do desenvolvimento de inovações tecnológicas, a indústria conseguiu aumentar a disponibilidade e a vida útil dos alimentos, mantendo ou otimizando as características iniciais, como sabor e textura. Nesse quesito, os aditivos alimentares são alguns dos maiores aliados da tecnologia de alimentos. São caracterizados como substâncias adicionadas aos alimentos com o objetivo de auxiliar em questões tecnológicas, sanitárias e/ou sensoriais. Mesmo que a legislação determine que os aditivos só possam ser adicionados aos alimentos em quantidades seguras e sem camuflar defeitos – assegurando a saúde do consumidor -, uma das maiores dificuldades da indústria em relação à implementação dos mesmos é o preconceito do público, especialmente devido à origem sintética da maioria. Nesse sentido, os aditivos alimentares de origem natural vêm ganhando espaço no mercado. Os aditivos alimentares naturais são substâncias provenientes de fontes orgânicas, como plantas, animais e microrganismos. Os aditivos de origem natural desempenham o mesmo papel que os sintéticos? A resposta é: depende. Por derivarem de elementos já presentes na natureza, alguns dos aditivos de origem natural não possuem as propriedades específicas esperadas e precisam ser combinados entre si. Contudo, os aditivos naturais vêm se destacando na melhoria de algumas características, como cor, aroma e atividade antioxidante. Dos corantes, o urucum representa mais de 70% da quantidade de corantes naturais utilizada no mundo e tem coloração amarelo-alaranjado. Além desse, o carmim de cochonilha, de tonalidade que varia do laranja ao vermelho, é bastante utilizado. Os problemas enfrentados pela indústria com o uso de corantes naturais são a alta sensibilidade ao calor, baixa estabilidade e elevado custo de obtenção. Como aromatizantes, destacam-se os óleos essenciais, especialmente de laranja, limão, hortelã e lavanda, e as especiarias. São obtidos por processos físicos, microbiológicos ou enzimáticos. Os antioxidantes atuam na prevenção de danos oxidativos às células. Os naturais são encontrados em frutas, verduras, legumes e sementes. Destacam-se as vitaminas C e E, o betacaroteno e o selênio. Mas afinal, quais são as vantagens do uso de aditivos alimentares naturais? A mudança dos hábitos alimentares atualmente fez com que a demanda por alimentos naturais crescesse. Por serem mais fáceis de entender – pois possuem denominações e características já conhecidas pelos consumidores – e provenientes da natureza, os aditivos alimentares naturais transmitem maior segurança para o consumidor e são vistos como mais saudáveis. Além disso, sua produção demanda menores quantidades de energia e gera menos resíduos tóxicos a serem liberados no meio ambiente, reduzindo o impacto ambiental. Gostou do conteúdo? Interessou-se em implementar aditivos alimentares em sua produção? Entre em contato conosco, somos especializados na melhoria de produtos alimentícios!

TIPOS DE AMIDO: QUAIS SÃO E PARA QUE SERVEM?

Entenda cada tipo de amido, suas possíveis modificações e aplicações na indústria de alimentos Você, com certeza, já comeu um alimento com amido de milho. Mas você conhece os diferentes tipos dessa importante fonte de carboidratos na alimentação? E sabe como eles são utilizados? Antes de entender os outros tipos de amigos, é preciso entender o amido resistente. Esse termo foi criado em 1982 e se refere à fração de amido que será fermentada no intestino grosso, formando gases e ácidos graxos pequenos. Devido a essas características, esse tipo de amido tem efeitos comparáveis à fibra alimentar. Existem ainda três divisões entre o amido resistente, classificadas de acordo com o seu grau de resistência à digestão: amido fisicamente inacessível (AR1), grânulos de amido resistente (AR2) e amido retrogradado (AR3). Este último tipo de amido é o mais comum e mais importante nos alimentos pois pode ser manipulado de forma benéfica para o consumidor, alterando a quantidade de “fibra” do alimento. Amidos modificados e sua aplicações Um amido pode ser modificado para incrementar ou inibir suas características originais e adequá-lo às aplicações específicas. Assim, pode-se promover, por exemplo, melhor retenção, estabilidade e sensação ao paladar.  Porém, é pouco prático modificar um amido nativo. Por isso, foram criados os amidos modificados.  É possível realizar a modificação dos amidos por meio de três métodos:  Vale ressaltar que este último tipo de amido citado, o de pré-gelificação, não tem apenas emprego na área alimentícia. Ele também é útil nas indústrias têxtil, de papel e papelão, fundição e de lamas para perfuração de petróleo. Gostou do conteúdo? Ficou com alguma dúvida, quer saber mais sobre os tipos de amido ou qualquer outro assunto relacionado à produção e ao mercado de alimentos? Entre em contato conosco! Estamos à disposição para ajudá-lo.