CONHEÇA AS VANTAGENS DE INVESTIR NO MERCADO PET FOOD

Vale a pena entrar nesse mercado? Explicamos tudo que você precisa saber sobre este setor

Para as pessoas que têm animais de estimação em suas casas, cuidar deles, mantê-los saudáveis e felizes é uma atividade essencial e muito prazerosa. Em muitos lares, os animais são considerados quase como membros da família. O mercado de pet food existe para suprir toda a demanda relacionada à alimentação desses animais, com produtos que proporcionam saúde e bem-estar a eles. 

Mas esse é um mercado lucrativo no Brasil? Já existe uma ampla variedade de produtos nas prateleiras? E quais tipos de produto fazem mais sucesso nesse setor? O Conaq esclarece todas essas questões neste artigo!

Como está a indústria pet na economia brasileira?

A presença de pets nas casas brasileiras é bastante significativa. De acordo com os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 44,3% dos 65 milhões de domicílios brasileiros têm pelo menos um cachorro e 17,7% ao menos um gato. O país é o quarto com maior número de animais domésticos (52,2 milhões de cachorros, 22,1 milhões de gatos, entre outros pets).

      A indústria de produtos pet corresponde a essa alta demanda. Segundo a Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação), em 2018, ao faturar R$20,3 bilhões, o Brasil se tornou o segundo maior mercado de produtos pet do mundo. Com 6,4% de participação global, o país está atrás apenas dos Estados Unidos.  

Atualmente, o mercado pet representa 0,36% do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro. Esse setor é composto por três vertentes: alimentos (Pet Food), medicamentos veterinários (Pet Vet) e cuidados com saúde e higiene (Pet Care). O segmento responsável pela grande maioria dos lucros é o Pet Food, que representa 73,9% do faturamento total.

      Mas o que é o mercado pet food?

      É o setor que corresponde a toda parte alimentícia dos animais de estimação, desde produtos naturais e frescos até industrializados e ultraprocessados. De acordo com a Abinpet, estas são algumas classificações de alimentos para pets:

  • Alimento completo: Atende a todas as exigências nutricionais da maioria dos pets;
  • Alimento coadjuvante: Ideal para os animais com distúrbios metabólicos ou fisiológicos;
  • Alimento específico: Serve como um “presente”, para agradar ou recompensar o pet por alguma ação;
  • Produto mastigável: Elaborado com subprodutos de origem animal e/ou vegetal;
  • Suplemento: Destinado a equilibrar o balanço nutricional;
  • Aditivo: Utilizado para melhorar o desempenho dos animais, seja em rotinas cansativas, que envolvem brincadeira e corridas diárias, ou em competições, como apresentações de adestramento.

     Quais são as tendências do mercado pet food?

     Nessa indústria, há uma diversidade enorme de produtos, que englobam muitos interesses. Para os produtores, o desafio é entender com qual tipo de produto o público mais se identifica atualmente, quais características se destacam no mercado e, consequentemente, geram mais lucro. Abaixo, listamos algumas das principais categorias de produtos que já estão consolidados no mercado:

  • Alimentação Premium: São produtos selecionados, de melhor qualidade nutricional, e com uma ampla variedade de ingredientes. As rações são feitas a partir da sintetização de alimentos naturais (frutas, carnes, vegetais). 
  • Alimentação Natural: É uma dieta balanceada composta por comidas naturais (não é ração), com o mínimo de processos industriais. Nesta categoria, geralmente, os alimentos só passam por duas etapas: o cozimento e o congelamento. A preparação final, na maioria dos casos, é caseira, para adequar o fornecimento de nutrientes às necessidades do animal. 
  • Alimentação Gourmet: São produtos sem conservantes, preparados de forma balanceada, e frescos. Provenientes de fontes naturais, contém boas quantidades de proteínas, gorduras e carboidratos, e são enriquecidos com vitaminas e minerais. Geralmente, contém especiarias que conferem um sabor bastante característico a cada produto.
  • Alimentação Vegana: Ração composta de ingredientes naturais livres de qualquer origem animal. São suplementados com vitaminas, aminoácidos e proteínas sintetizadas, para atender as necessidades dos pets.  

      E então, é uma boa escolha investir nesse mercado?

      Com a popularização e o aumento no número de animais de estimação, esse segmento da indústria é alvo de diversas novas estratégias de lucro. Trata-se, portanto, de um mercado promissor e difícil de entrar em crise. 

Percebe-se também uma alta na procura de desenvolvimento de novos produtos e serviços para melhorar a condição de vida dos pets, que, convenhamos, todos amam. Esse fato demonstra que há muitas possibilidades de inovação que podem tornar o setor ainda mais lucrativo. Ou seja, o mercado pet food é um “prato cheio”, tanto para os pets quanto para empreendedores!

Obrigado por ter chegado até aqui! A sua atenção é muito importante para o Conaq! Gostou do nosso conteúdo e quer receber mais informações sobre diversos temas relacionados à produção e ao mercado de alimentos? Não deixe de acompanhar as publicações no nosso site. Para esclarecer qualquer dúvida ou sugerir algum assunto para nossa equipe abordar, entre em contato conosco, estamos à disposição para atendê-lo! 

Equipe Conaq
Equipe Conaq

Gostou deste artigo? compartilhe nas redes!

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on linkedin
Compartilhe no Linkdin
Share on pinterest
Compartilhe no Pinterest

DEIXE UM COMENTÁRIO