TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE SORO DO LEITE

O queijo é um produto saboroso e bastante presente na mesa do consumidor brasileiro. Acompanhante de diversas refeições, desde o pão com queijo no café da manhã até a pizza no jantar, este possui grande aceitabilidade. Tanto é verdade que em 2017, a produção de queijos no território brasileiro superou um milhão de toneladas. E neste ano de 2018, é esperado ainda um crescimento de 2,5%.

Para produção de um quilo de queijo, usa-se em média 10 litros de leite. Um dos principais subprodutos dessa produção, representando até 90% do leite usado, é o soro do leite. Isso mostra que durante o ano de 2018, teremos uma produção de, no mínimo, 8,2 bilhões de litros de soro do leite no Brasil. E para onde vai todo esse volume? Pode-se simplesmente descartar em rios e mares?

O soro do leite não é apenas um resíduo da indústria alimentícia, ele é tido como um dos principais poluentes da indústria de laticínios.  Segundo a atual legislação ambiental, não é permitido seu descarte direto à rios e esgotos públicos. Isso ocorre devido a sua alta taxa de matéria orgânica, o que faz com que as bactérias e microorganismos presentes na água utilizem uma alta quantidade de oxigênio dissolvido no líquido para degradação dessa matéria.

Existem, portanto, duas alternativas. A primeira é o descarte adequado, realizando um tratamento de efluentes nas queijarias. A segunda, já utilizada há muito tempo, é a utilização deste soro como fonte de nutrientes. Em fazendas familiares, o soro gerado pela produção do queijo era muito usado na alimentação de suínos, em virtude de sua grande concentração de matéria orgânica. 

Porém, atualmente, tal ação é banida por questões ambientais e sanitárias e estudou-se alternativas mais adequadas para o uso do soro do leite. Sendo assim, tem-se a opção de produzir bebidas lácteas ou queijo de ricota, por exemplo, além de pastinha para pães, e até mesmo soro do leite em pó, usado no Whey Protein.

Sem seu processamento, o soro do leite deve ser descartado de forma apropriada, demandando tempo, energia e dinheiro. Ao invés disso, pode-se realizar um estudo do melhor produto a ser feito com ele, levando em consideração suas propriedades físicas, químicas e biológicas, além de uma análise do mercado consumidor regional. Assim, o soro do leite, antes um resíduo tóxico, agora torna-se um fonte de renda!

Quer saber o melhor destino para o soro do leite do seu negócio? Entre em contato com a CONAQ, podemos fazer do seu soro de leite uma nova maneira de aumentar seu lucro!

Artigo produzido por Alice Girardi.

Equipe Conaq
Equipe Conaq

Gostou deste artigo? compartilhe nas redes!

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on linkedin
Compartilhe no Linkdin
Share on pinterest
Compartilhe no Pinterest

DEIXE UM COMENTÁRIO