3 DIFICULDADES EM TRABALHAR COM ALIMENTOS SEM GLÚTEN

Trabalhar com alimentos livres de glúten é cercado por obstáculos, logo lidar com uma linha de produtos sem essa proteína, além de ser arrojado, é um diferencial no mercado. Pessoas com doença celíaca, de dieta ou com sensibilidade ao glúten estão sempre à procura de novas mercadorias, o que, muitas vezes, não encontram. Entretanto, quais empecilhos prejudicam a produção desses artigos? Abaixo você descobrirá alguns dos principais problemas que podem ocorrer com quem comercializa tais produtos, fique atento se você não enfrenta algum deles!

INGREDIENTES SUBSTITUTOS

O glúten é uma proteína presente em muitos cereais, como o trigo, o centeio e a cevada, com o propósito de atribuir elasticidade na elaboração de diversas receitas. Ele aprisiona o gás carbônico emitido pelas leveduras do fermento, assim, a massa cresce, fica macia e com uma consistência boa. Mas é possível criar um pão ou um bolo, que fique com uma textura e granulosidade boa, sem isso?  

Há diversos substitutos para o glúten, porém eles não deixam o mesmo sabor e características  na massa. Em virtude disso, escolher bem o que usar é fundamental, para, assim, produzir uma receita agradável e também aproveitar as características dos novos componentes. A farinha de milho, por exemplo, fornece, além de vitaminas essenciais ao corpo, o dobro de fibras da farinha de trigo e pode ser usada para empanar ou fazer bolos e pães, porém possui muitas calorias. Outro suplente que serve como aditivo alimentar para espessar e estabilizar líquidos é a goma xantana, assim, ela dá viscosidade a receita e ajuda a manter as características finais dos alimentos na ausência dessa proteína.

Portanto, quando se está substituindo um ingrediente, é recomendável entender as características dele e o que ele fará durante a  produção do alimento. Aproveitando, desse modo, suas qualidades e deixando o produto mais macio, com uma textura boa e, principalmente, gostoso.

PREÇO DO PRODUTO

Um alimento zero glúten, para ser produzido, exige ingredientes que receberam tratamentos e cuidados, e por isso possuem um preço mais elevado. Tais itens nem sempre estão à mão ou no supermercado mais próximo, para tanto é necessário procurar em lugares especializados ou encomendá-los. Isso tudo encarece o produto, deixando-o menos acessível para a população, que, caso não seja celíaca, pode recorrer ao produto normal.

Em contrapartida, um modo interessante de se contornar esse problema é buscar por cooperativas ou grupos especializados em alimentos sem glúten, ou até entrar em contato com comunidades ou associações de celíacos da sua região, visto que também é do interesse deles ter mais variedade no mercado. Assim, ambos se beneficiam e você consegue baratear o seu produto, além de que, você já entra em contato com possíveis consumidores e fornecedores.

CONTAMINAÇÃO CRUZADA

Celíacos podem ter uma reação mesmo com as menores quantidades de glúten, por isso é extremamente importante cuidar com a contaminação cruzada. Mas o que significa isso? Trata-se de uma transferência de substâncias de um alimento para outro, ou seja, qualquer partícula de glúten que entrar em contato pode contaminar toda uma produção. Diante disso, é necessário verificar os utensílios a serem utilizados, a bancada, os eletrodomésticos e até o próprio vento, em razão de que, em qualquer contato com o glúten, sua comida pode causar sérias dores a alguém com tal doença, prejudicando fortemente o intestino e o sistema imunológico dessa pessoa.

Felizmente, há meios de evitar isso, como manuais de Boas Práticas de Fabricação nas cozinhas, os quais adotam inúmeras medidas de controle que devem ser acatadas pelos manipuladores desde a escolha e compra dos produtos a serem empregados no preparo do alimento sem glúten até o consumo dele. Além disso, é extremamente importante lembrar o fato de dar até prisão por vender alimentos afirmando ser sem glúten se tiver contaminação, já que está pondo a vida de pessoas em risco. Em função disso, é fundamental separar a área de produção e tomar o máximo de cuidado com esses pratos e seus utensílios. Através desses procedimentos, pode-se até salvar a vida de um alérgico ao glúten.

Ficou interessado em resolver essas dificuldades na produção de alimentos sem glúten? A CONAQ oferece serviços precisos que podem lhe auxiliar na resolução desses problemas, assegurando que o seu produto vá para o mercado com estabilidade e qualidade. Confira nossa carta de serviços e entre em contato para mais informações.

Artigo desenvolvido por Bruno Floriani

Equipe Conaq
Equipe Conaq

Gostou deste artigo? compartilhe nas redes!

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on linkedin
Compartilhe no Linkdin
Share on pinterest
Compartilhe no Pinterest

DEIXE UM COMENTÁRIO

Open chat
Fale conosco!
Olá! Podemos te ajudar?